Será que você está usando o sal grosso errado?

Que tipo de sal você usa em banhos, limpeza de energia negativa e outras práticas mágicas? Será que qualquer tipo de sal pode ser usado ou será que tem algum que não funciona? Neste texto, você vai descobrir. 

Já vi magistas defendendo que não é qualquer sal que pode ser usado para purificação e limpeza de energias negativas. 

Mas para minha surpresa, estavam falando de sal grosso em vez do sal refinado de cozinha (que para muitos tem pouco ou nenhum efeito).  

Como é que é?

Isso mesmo, os magistas em questão diziam que não é qualquer sal grosso que pode ser usado para práticas mágicas, porque no Brasil, até o sal grosso teria a adição de iodo. Isso o  tornaria impróprio para o uso em magia. O problema aqui seria o sal grosso que se usa para temperar churrasco, fazendo do sal marinho o único tipo eficiente.

Imagine eu fazendo uma cara bem esquisita de “estou chocada” e insira aqui.

Imagine também a minha reação ao pensar que eu poderia ter feito ERRADO  90% de TODAS as práticas de purificação e limpeza desde que comecei a fazer magia!

Mas aí, como boa aquariana que sou, eh quer dizer, como boa questionadora que sou, resolvi investigar isso, porque afinal, eu tenho prova de que várias coisas funcionaram para mim e o sal que eu usei não era especial.

E caso eu descobrisse que estava fazendo alguma coisa errada, passaria a fazer certo e iria espalhar essa informação para quem eu pudesse. Como estou fazendo com este texto agora.

Imagem: Magnifying Glass por Tumisu, no Pixabay

De onde veio isso e quem foi que disse que é assim?

A primeira coisa que sempre me pergunto nesse tipo de situação é “de onde veio essa informação?”. 

Pode muito bem ser um boato inventado por alguma empresa que vende um tipo de sal específico, tentando aumentar as vendas do seu produto.

É impossível não pensar nas cenas do início do filme Trapaça, onde num flashback, o personagem de Christian Bale aparece criança, apedrejando a vidraça de uma loja. Ele conta que seu pai era vidraceiro e mandava ele fazer isso para que vendessem mais vidros. 

Da mesma forma que no filme, hoje em dia muita gente por aí faz o mesmo. 

Seja usando uma estratégia parecida, inventando um problema e oferecendo a solução, seja espalhando boatos sobre produtos para desacreditar a qualidade deles e assim ganhar vantagem sobre a competição.

Nas minhas pesquisas em português, confirmei o que eu já sabia: que o sal grosso comum também é um tipo de sal marinho e que não passa pelo mesmo processo químico que o sal refinado, mantendo assim seus minerais naturais.

Resolvi pesquisar sobre o assunto em sites de outros países, assim não teria o fator “adição de iodo” envolvido. Encontrei um site de terapias energéticas em inglês, falando sobre o uso do sal em limpeza energética e comparando diferentes tipos de sal e sua eficiência. 

No blog do site, Tarin Rataic explica que se dá preferência ao sal do Himalaia ou à uma marca famosa de sal marinho que ela cita, porque acredita que eles sejam mais puros, tanto energeticamente quanto fisicamente. 

No refinamento, o sal de cozinha perde boa parte dos outros minerais que possui, tem outros elementos adicionados para resistir à umidade e fica reduzido apenas a cloreto de sódio. O que segundo Rataic, faria o sal refinado ainda ser eficaz, porém menos potente por ser menos puro.

Mas, para quê usamos o sal em magia mesmo?

Para quem não lembra ou ainda não sabe, o sal é usado de várias formas em magia, mas sua principal função é limpar e purificar.

Imagem: Sal por Ri_Ya no Pixabay

Essa qualidade de purificação é atribuída a ele por se tratar de um cristal e por ser uma substância que não estraga, que se conserva.

O sal neutraliza energias, absorvendo qualquer excesso de energia negativa ou mesmo positiva, na forma como interage com um ambiente ou com algo.Isso geralmente acontece quando entra em contato com água, mas não obrigatoriamente.

Se você é nerd como eu e ficou curiosa sobre como o sal grosso funciona na água, tem uma explicação mais detalhada aqui.

Existe material sobre a ineficácia do sal iodado em magia?

Nenhuma fonte fala sobre isso. 

Penso que essa história talvez tenha a ver com uma certa “obsessão por pureza” de alguns praticantes de magia, numa preocupação em garantir um trabalho bem feito. 

O raciocínio por trás disso seria que, se algo foi adicionado por um processo industrial (nesse caso o iodo), o sal teria a pureza de suas propriedades comprometidas e não seria mais tão eficiente quanto nas suas versões mais puras..

Portanto, ele estaria mais distante de seu estado mais puro na natureza.

Porém, para algumas pessoas, como Barbara Moore, até o sal do himalaia mais puro não funciona se não for conjurado (quando se evoca o espírito do sal) e programado antes do uso. 

Isso é quase um paradoxo: é como se tivéssemos que limpar o próprio sal que vamos usar para purificar e limpar objetos. Meio maluco, né?

Sem falar que aqui poderia entrar a discussão do paradigma psicológico: se precisamos conjurar e programar para funcionar, então só funciona porque nós damos um comando para nossas mentes. 

Portanto, deve estar acontecendo só nas nossas mentes, sendo elas e não o sal quem está fazendo o trabalho.

Ficou confuso? É só pensar que pode ser tudo coisa da sua cabeça e o sal não faz diferença nenhuma.

Mas aí você já pode estar pensando: se é tudo coisa da minha cabeça ou não, o que é que o iodo tem a ver com isso tudo?

Qual é o problema em usar sal iodado para limpeza energética?

Na verdade, não parece existir um problema.

E enquanto o sal refinado é basicamente apenas cloreto de sódio, o sal marinho possui zinco, potássio, ferro, cálcio e adivinhem o quê? Se você pensou iodo, acertou!

Umas das fontes de iodo na alimentação é algas marinhas, como aquela que se usa no sushi. Ou seja, o iodo é encontrado em abundância nos oceanos.

Será que então poderia ser o iodo algum elemento que interfere no processo de purificação ou causar algum tipo de problema no organismo?

Primeiro, se fosse assim, não se faria adição de iodo no sal de cozinha. Mas se você tem tendências à teorias de conspiração (brincadeira), tenho outro argumento…

Segundo, o iodo é importante na manutenção da saúde: no desenvolvimento físico, na produção de hormônios, no funcionamento dos órgãos e no funcionamento das células. Além de ajudar a eliminar toxinas no organismo.

O que nos leva a pensar que, se o iodo ajuda a eliminar toxinas no organismo, ele tem função purificante, certo?

Então, qual seria o problema em associar um elemento purificante com limpeza energética? 

Exatamente: nenhum!

A função deste texto não é dizer que essa é a verdade absoluta, não é isso, mas até que eu encontre informações embasadas que me mostrem o contrário, não parece haver motivo nenhum para acreditar e dizer por aí que sal grosso iodado não funciona em magia ou que não é qualquer tipo de sal que funciona.

Se você quer dicas de como usar o sal grosso em magia, falei sobre isso em vários episódios do podcast do Bruxas em Dublin, inclusive este aqui, sobre banimentos e proteção:

Uncategorized

Bruxa Asgard Visualizar tudo →

Atriz, Jornalista, Professora e Tradutora. Bruxa eclética, trabalho com tarot e radiestesia. Podcaster do Bruxas em Dublin e Aquariana.

1 comentário Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: