Cuidado com o que você deseja: como isso se realiza pode ser um problema

“Cuidado com o que você deseja: você pode conseguir.” Quem nunca ouviu essa frase, não é mesmo? É muito comum ouvir das pessoas para termos cuidado quando colocamos intenção nos nossos desejos mais profundos e damos voz à eles. Mas e a parte do “como” você quer que aconteça, já parou para pensar nisso? E se adicionar um alfabeto mágico na história, o que será que acontece?

Anos atrás eu passei por uma experiência que me fez aprender, sentindo na pele, os efeitos de não prestar atenção no “como” uma coisa pode se realizar.

Estava eu no início da minha vida de intercâmbio na Irlanda, com meu dinheiro contado e sem conseguir emprego, mesmo falando inglês intermediário, enviando currículos todos os dias e falando que estava precisando de trabalho para todo mundo que eu conhecia.

Como o meu problema já não parecia mais se resolver por meios mundanos, resolvi fazer um feitiço de manifestação através de escrita, com a ajuda de um alfabeto mágico.

Para entender os motivos da minha escolha, precisamos voltar um pouco no tempo, para antes de eu mudar para Dublin…

Eu já havia feito esse tipo de magia antes e tinha conseguido um resultado bem satisfatório.  

Ainda no Brasil, uma vez precisei mudar de emprego mas tinha receio de não receber tudo o que me era devido e ter que brigar ao sair. 

Buscando uma ajuda do astral, fiz o tal feitiço usando o alfabeto templário.

Lembro que escrevi um tipo de carta que mais parecia um contrato, afirmando em detalhes o quanto eu receberia. Entre vários alfabetos mágicos que eu conhecia, optei por usar o templário porque sua egrégora é carregada do mesmo senso de justiça que a antiga ordem de cavaleiros.

Meu feitiço foi realizado com sucesso: recebi o que era justo e a saída foi amigável.

Baseada na experiência positiva que eu tive usando o alfabeto templário, resolvi repetir, dessa vez focando na egrégora de conquista associada àquela ordem, também pensando que eu teria a ajuda dos cavaleiros por minha causa ser justa.

Escrevi uma carta onde eu pedia por um emprego. O pedido foi feito obedecendo as regras básicas de lançar um desejo para o universo, como se aquilo já tivesse acontecido em detalhes, mais as outras coisas essenciais que um feitiço deve ter.

Não especifiquei o tipo de trabalho, pois tinha chegado num ponto onde praticamente qualquer coisa servia, já que meu dinheiro estava acabando.

Na hora certa, no lugar certo

Durante um passeio, uma amiga de um amigo falou para eu levar meu currículo num hotel onde ela tinha trabalhado. Disse que eles estavam sempre contratando, me explicou onde entrar para deixar o currículo e me disse os nomes das gerentes que contratavam camareiras. 

No dia seguinte eu fui no hotel, fiz exatamente como a moça tinha me explicado e consegui falar com uma das gerentes. Ela me disse que ia ficar com meu currículo mas que não estavam precisando de ninguém.

Saí já desanimada, mas antes que eu virasse o corredor, ela me chamou de volta na sala dela, perguntando se eu podia começar no dia seguinte. 

Alguém tinha acabado de ligar pedindo demissão.

Fiquei toda feliz, era um sinal do universo, eu estava no lugar certo, na hora certa! Meu feitiço tinha funcionado e eu não ia mais passar aperto.

Só que não…

Aguentei um mês e meio no emprego de camareira, o suficiente para conseguir outro trabalho. 

Quando tinha que ir trabalhar, toda noite anterior eu chorava. 

Eu nem sei quantos quilos eu perdi (e olhe que sempre fui magra), porque além de ser um trabalho bem cansativo e intenso, em seis horas de turno, eu não podia parar nem para almoçar e mal conseguia ir uma única vez ao banheiro.

Os quartos eram enormes e eu tinha que fazer tudo sozinha correndo feito uma louca, porque o tempo estipulado para a limpeza de cada quarto era quase impossível de ser cumprido.Além do aspirador de pó, tinha que dividir com outra pessoa o carrinho de limpeza com as roupas de cama e afins, num andar enorme.

Mas o pior disso tudo, é que as gerentes da limpeza só pagavam o valor integral das seis horas trabalhadas se um número específico de quartos fossem limpos. 

Se por qualquer motivo, mesmo por motivo de o hóspede não querer o serviço, um número inferior que 12 quartos fossem limpos, descontavam do nosso pagamento.

Elas nos forçavam a falsificar o horário de saída no livro ponto (que tínhamos que assinar na frente delas). E se levássemos mais tempo para terminar o trabalho, também.

Photo by EKATERINA BOLOVTSOVA on Pexels.com

Mas então, onde foi que eu errei?

Até hoje quando eu lembro dessa história e da forma como saí do emprego (com a gerente gritando comigo e ameaçando me denunciar para a imigração, porque deve ter esquecido que eu não estava aqui ilegal), me faz pensar na minha falha em não prever o “como”do meu desejo se realizar.

Acredito que por ter escolhido o alfabeto templário por causa de sua egrégora, deixei escapar o fato de que os cavaleiros templários lutavam por justiça e traziam ordem, mas também foram um grupo que sofreu muito pelas mãos de quem tinham que obedecer. 

Que não tinham descanso, que estavam sempre lutando e que tinham que se privar de várias coisas por conta do código que seguiam.

E por mais um erro meu, em não ter estipulado um tipo de ambiente de trabalho que fosse legal, dei margem para atrair algo que se encaixava nesse perfil de “trabalhar até cair”.

No final das contas, eu consegui o que eu queria e o que eu precisava, o problema estava na forma em que isso aconteceu.

Então, quando você resolver se aventurar no uso dos alfabetos mágicos não se preocupe apenas em escolher aquele que tem a energia compatível com aquilo que você quer. 

Lembre-se de entender a egrégora criada por todos aqueles que os usavam e se for o caso, escolha outro alfabeto.

Eu contei essa história no episódio sobre magias que deram errado, no podcast do Bruxas em Dublin. Se você quiser ouvir as outras histórias é só clicar!

E aí, me conta: você já tinha parado para pensar na forma como os seus desejos se realizam?

Uncategorized

Bruxa Asgard Visualizar tudo →

Atriz, Jornalista, Professora e Tradutora. Bruxa eclética, trabalho com tarot e radiestesia. Podcaster do Bruxas em Dublin e Aquariana.

2 comentários Deixe um comentário

  1. Texto muito bem escrito e cativante, fiquei querendo saber da estória do começo ao fim 😊

    Muito importante determinar como as coisas acontecem senão “tudo” acaba sendo um sinal do universo né

    Curtir

    • Obrigada pelo feedback positivo Leticia! Você está certa em lembrar da importância sobre saber diferenciar quando é um sinal a ser interpretado e quando é apenas mais um fato comum. O melhor nessas horas é usar de discernimento.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: