Mude sua atitude ao fazer um pedido: tire “se for do meu merecimento” da sua vida

Todos queremos coisas em nossas vidas e pedimos por elas. Mas em muitas situações somos levadas a fazer nosso pedido finalizando com um “se for do meu merecimento”. Neste texto você vai entender o que representa usar esta frase para expressar o que você deseja. 

Tenho pensado em algumas conversas que já tive com amigas e com familiares e o conceito de “se for do meu merecimento” aparece com uma certa constância.

Nem sempre aparece dessa forma literal, dito com todas as letras e palavras nessa mesma ordem, aparece muitas vezes de forma indireta.

Entendo que em algumas situações, é uma tentativa das pessoas que se nos amam e que se preocupam com a gente de trazer uma palavra de conforto quando algo não deu certo, ou de nos incentivar para não desistirmos de algo ao falhar.

Existe um certo conforto em pensarmos que quando uma coisa que queremos muito não dá certo, é porque não era para ser. Também é confortante nos mantermos na esperança de que algo melhor e realmente alinhado com a gente vai aparecer ou vai acontecer.

Entretanto, as coisas deixam de ser positivas quando esse “algo melhor” se transforma em “isso não é do meu merecimento”.

Só peça se você merecer?

Vou analisar a frase “se for do meu merecimento” do ponto de vista cristão porque foi assim que fui educada (me tornei pagã no final da  adolescência) e porque a filosofia cristã influencia muito a cultura e a sociedade brasileiras.

Existe uma uma forma de encarar as coisas no Cristianismo que nos leva a pensar que só recebemos aquilo que merecemos, tanto em relação a coisas boas quanto em relação a coisas ruins.

Um exemplo disso é aquela frase: “Deus nunca dá um fardo com um peso maior do que conseguimos carregar”.

Imagem: Mohammed Alherz no Unsplash

Imagine então que você está a procura de um amor. Você resolve dentro de si que está aberto para viver um relacionamento, exterioriza este desejo falando para amigos, faz o seu pedido para o universo e sai em busca da pessoa.

Digamos que um dia, depois de um tempo pedindo ao universo e continuando a sua busca, você encontre a pessoa dos seus sonhos, um par perfeito para você. 

Assim que isso acontece, bem lá no fundo, você acha que pode não ser merecedor daquilo.

O que é provável que aconteça?

Há uma grande chance de aquele pensamento voltar para te sabotar internamente e você até começar a questionar se realmente pode desfrutar daquilo.

O mesmo vale para outras situações da vida: trabalho, amigos, relações familiares. Pode ser que se estenda até a sua saúde (importante: não quero que isso se confunda com a filosofia de que toda vez que adoecemos é porque fomos nós os causadores disso, porque não compartilho dessa visão).

Pensar que é do nosso merecimento nem sempre ajuda

Existem algumas correntes de magia que também trabalham com esse princípio, de que  um pedido deve ser feito sob a condição de se realizar “se for do nosso merecimento”.

Mas e para alguém como eu, por exemplo, que tenho síndrome de impostor, como fica? 

Se eu usar essa crença no meu jeito de encarar a vida quando estou sob o ponto de vista da impostora, alcançarei muito pouco dos meus objetivos, porque tenho mais tendência a não me reconhecer merecedora por me sentir uma fraude.

E se for uma pessoa que por alguma marca inconsciente em seu passado emocional, tenha uma tendência oculta de não se sentir merecedora de certas coisas?

Essa é uma discussão que ainda pode ser estendida para outras áreas de nossas vidas, como por exemplo, o papel no qual nos vemos desempenhando dentro de uma sociedade. Mas esse é um assunto para um outro dia.

Quando penso na frase “se for do meu merecimento” é como se dentro dela já viesse implantada uma dúvida. É a parte do “se for”.

Não deveria haver dúvida se merecemos algo ou não toda vez que lançamos nossos pedidos ao universo, porque esse é um mecanismo que contribui para abrirmos mão do nosso próprio poder.

E para muitas pessoas manipuladoras hoje em dia, o que mais querem é nos ver desacreditadas de nós mesmas.

Uncategorized

Bruxa Asgard Visualizar tudo →

Atriz, Jornalista, Professora e Tradutora. Bruxa eclética, trabalho com tarot e radiestesia. Podcaster do Bruxas em Dublin e Aquariana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: